Tamanho e Complexidade

Segundo Navathe,

Um banco de dados pode ter qualquer tamanho e complexidade

A razão dessas propriedades é que um banco de dados enfrenta e resolve diferentes tipos de problemas. Cada tipo de problema, poderá demandar diferentes quantidades de dados.

Note que podemos usar  um banco de dados para resolver um problema simples como controlar uma agenda telefônica ou para fazer o mapeamento de todo o código genético humano. Assim,  um banco de dados pode ocupar alguns megabytes ou centenas de gigabytes.

Para exemplificar essa variedade Navathe cita como exemplo a base de dados da Receita Federal. De fato, a Receita Federal possui dados de praticamente toda a população de um país. Para armazenar esses dados, muito espaço será necessário. Isso é bem diferente da base de dados que é usada por um celular para guardar uma agenda telefônica.

Outro exemplo citado pelo autor é a base da dados da Amazon. O site da Amazon contém informações sobre milhares de itens. Cada item que é vendido no site (livros, jogos, roupas, etc) tem informação associada no banco de dados.  Além de grande, esse banco de dados recebe atualizações constantes, como as informações sobre as vendas no site. Uma base similar a esse é do Mercado Livre.

Não há dúvidas que um banco de dados pode variar em tamanho e complexidade devido a vários fatores, incluindo a natureza dos dados armazenados, a quantidade de informações sendo registradas, o número de usuários e a estrutura do próprio banco de dados. Da nossa parte, enumeramos as seguintes razões:

a) Volume de dados: Quanto mais dados precisamos guardar, maior será o tamanho do banco de dados.

b)  Variedade de dados: Bancos de dados podem armazenar diferentes tipos de dados texto, números, etc. Cada tipo possui diferentes requisitos de armazenamento e processamento específicos. Isso faz com que a complexidade do banco de dados possa variar a depender da aplicação.

d) Estrutura do banco de dados: A estrutura do banco de dados, incluindo suas tabelas, relacionamentos, índices e restrições, pode afetar sua complexidade. Quando mais tabelas e mais relacionamentos, mais complexo será o banco e sua administração.

e)  Número de usuários: A quantidade de usuários que podem acessar ao mesmo tempo o banco de dados pode influenciar na sua complexidade e também no seu desempenho.

f) Requisitos de desempenho: Bancos de dados que precisam responder rapidamente a consultas complexas, processar grandes volumes de dados ou fornecer alta disponibilidade podem exigir estratégias específicas como criação de índices, usos de clusters, etc.

g) Evolução do sistema: À medida que um sistema evolui ao longo do tempo, os requisitos do banco de dados também podem mudar. Novos recursos podem ser adicionados, campos podem ser alterados ou removidos. A frequência dessas alterações pode impactar a complexidade do banco de dados

Atualização

Um banco de dados pode variar com a frequência com que seus dados são alterados. A atualização deve ocorrer de forma que atenda ao requisito da aplicação. Por exemplo, imagine uma base de dados que contém o valor de uma ação na bolsa de valores. Caso os dados não sejam atualizados em um tempo adequado, isso poderá gerar um grande prejuízo para aqueles que fazem uso dessa informação.

Segundo Navathe,

Para que um banco de dados seja preciso e confiável o tempo todo, ele precisa ser um reflexo verdadeiro do minimundo que representa; portanto, as mudanças precisam ser refletidas no banco de dados o mais breve possível.

Sistemas Computacionais

 

Teoricamente, um banco de dados não precisa estar em sistema computacional.

Segundo Navathe,

Um banco de dados pode ser gerado e mantido manualmente ou pode ser computadorizado. Por exemplo, um catálogo de cartão de biblioteca é um banco de dados que pode ser criado e mantido manualmente. (grifo nosso)

Note que apesar da observação do autor, atualmente, na prática, os sistemas de banco de dados são digitais.  Ou seja, são sistemas computadorizados. Assim, o mais comum é que um banco de dados esteja em um sistema computacional onde possa sofrer diversos processos de automação.

Imagine, por exemplo, se seria viável, controlar as vendas realizadas pelo Mercado Livre de maneira manual. A reposta evidente é que não. Assim, diversas aplicações que existem hoje, só são possíveis graças ao uso de bancos de dados computadorizados.

Note que mesmo no exemplo de uma biblioteca, um sistema computacional poderá encontrar muito mais rápido a posição de um livro do que um ser humano procurando em conjunto de fichas de papel. Além disso, as fichas podem ser limitadas em relação a quantidade de informações. Assim, na prática, quando estudamos banco de dados, estamos nos referindo aos bancos que estão em sistemas computacionais.

Ligando banco de dados a sistema eletrônicos, encontramos a definição de Date:

O banco de dados, por si só, pode ser considerado como o equivalente eletrônico de um armário de arquivamento; ou seja, ele é um repositório ou recipiente para uma coleção de arquivos de dados computadorizados. (grifo nosso)

FAPEC

(FAPEC – 2014 – Fiscal Tributário Estadual/SEFAZ MS/Adaptada) Um banco de dados pode ser definido como uma coleção de dados, normalmente armazenados em computadores, que representam algum aspecto do mundo real. Julgue o seguinte item:

Um banco de dados deve ser dimensionado de forma a ter tamanho e complexidade limitados.

Comentários:

Errado. Não há limitação para o tamanho e a complexidade do banco de dados. Eles podem variar de acordo com a aplicação.

(FAPEC – 2014 – Fiscal Tributário Estadual/SEFAZ MS/Adaptada) Um banco de dados pode ser definido como uma coleção de dados, normalmente armazenados em computadores, que representam algum aspecto do mundo real. Julgue o seguinte item:

Atualizações ocorrem de forma contínua em um banco de dados, porém elas não precisam ser gravadas o mais breve possível, para que os dados se mantenham precisos e confiáveis.

Comentários:

Errado. É necessário que as atualizações seja refletidas o mais rápido possível no banco de dados. Como vimos, segundo Navathe,

Para que um banco de dados seja preciso e confiável o tempo todo, ele precisa ser um reflexo verdadeiro do minimundo que representa; portanto, as mudanças precisam ser refletidas no banco de dados o mais breve possível.

CESPS

(CEPS UFPA – 2004 – Técnico (MPE PA)/Analista de Sistemas/Adpatado) Acerca de Bancos de Dados e Sistemas de Gerência de Banco de Dados (SGBDs) é correto dizer:

Um banco de dados não pode ser gerado nem mantido manualmente, ou seja, sem o auxílio de um SGBD ou programa similar.

Comentários:

Errado. Em sentido amplo, um banco de dados é uma coleção de dados relacionados que pode ser mantida de forma manual. Na prática, é comum usamos um sistema eletrônico, mas é possível fazer um controle, por exemplo, com fichas de papel.

Gostou desse material ? Faço nosso curso completo de TI para carreira fiscal. O curso é composto por vídeo-aulas e aulas em pdf.

 

Rolar para cima